Um olho na gagueira e os dois na fluência


UM OLHO NA GAGUEIRA E OS DOIS NA FLUÊNCIA

       

Na verdade, o desejo de todos, em relação à sua comunicação, é apresentar uma fala fluida, que traduz-se por si só, através da cadência ritmada, do pensamento organizado, do conteúdo que impulsiona o diálogo e da satisfação causada pela sensação de ser ouvido.
Para exprimir-se verbalmente há que existir prazer. Prazer na tríade: dizer, ser ouvido e ouvinte; onde cada intenção tem o seu tempo. Permuta ordenada e espontânea; ação trivial aos que nada receiam ou reconhecem de extraordinário em sua fala, porém ato, tanto temido quanto ávido dos que não têm, em sua imagem, a representação de ser alguém que fale bem. Sendo assim, esta abordagem sugere o segundo objetivo prático da terapêutica da gagueira, diretamente relacionada ao olhar: A consciência da gagueira e da própria fluência.
Ter consciência é saber, perceber, provar, experimentar, conhecer, sentir, internalizar e integrar-se ao estímulo. A sua evolução estrutura-se através das funções sensoriais e motoras. É pela ação prática-e-concreta que se forma e (in)forma a consciência.
Todo processo de conscientização deve respeitar o ritmo interno individual, favorecendo assim uma evolução progressiva, que tem em sua gênese instantes e flashes, até alcançar a percepção plena, somente assim haverá mudanças. Afinal, foram anos de uma mesma experiência, com seus ritos, ações e reações. O grande desafio da práxis com gagos é o aspecto da progressividade. Não relaciono progressividade à prognóstico, longevidade de resposta terapêutica ou duração, mas aos fatores consciência/ritmo. A partir do instante em que o indivíduo estabelece convívio consigo mesmo, ou seja, aplica o verdadeiro sentido da vista que é olhar, sua consciência intensifica-se, passa a conhecer-se e reconhecer em sua fala também a fluência.
A imagem edificada do sujeito que domina o bem dizer, necessita ser construída. A prática comunicativa é o caminho desta estruturação e para tal é preciso estar diante do outro. Provavelmente, foi a leitura de situações no mundo que contribuiu para a gagueira no gago e por isto mesmo, sem o outro, não há feedback. 
"Eu só existo no diálogo."
(Clarice LISPECTOR).
(O Fluir Psicomotor - Leila Nagib in Mousinho,Mattos e Thompson).


CURSO E OFICINA TERAPÊUTICA PARA
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL, AVALIAÇÃO E PRINCÍPIOS TERAPÊUTICOS. PRÁTICAS COM VIVÊNCIAS E EXERCÍCIOS PARA O TRABALHO COM GAGUEIRA E TAQUIFEMIA.

Objetivos:
·         Fornecer embasamento teórico e prático a respeito dos diagnósticos, dos procedimentos avaliativos e de intervenção terapêutica fonoaudiológica relativos a fluência e seus transtornos.
·         Provocar o estudante e o fonoaudiólogo a desmistificar o conhecimento relativo aos TF como um instrumento de difícil acesso e de baixo prognóstico.
·         Proporcionar o espaço terapêutico para que o fonoaudiólogo vivencie a proposta de terapia fonoaudiológica para os TF baseada na Psicomotricidade e inserida às demais grandes áreas da Fonoaudiologia.
·         Oferecer o setting terapêutico como facilitador para quem se propõe a atender pessoas que gaguejam, a fim de vivenciar a prática relacional do trabalho com os TF na terapia.
·         Promover a prática nas relações de empatia e outros vínculos em potencial frente ao atendimento clínico fonoaudiológico nos TF.
·         Provocar o fonoaudiólogo a desmistificar o conhecimento vivencial relativo aos TF como um instrumento de difícil acesso.
·         Praticar exercícios para fluência de forma lúdica e prazerosa.

Programa do Curso:
1. Fluência e diferencial entre os TF
2. Avaliação dos TF
3. Terapêutica dos TF
· Terapia fonoaudiológica com gagueira_ Infância + orientação à família e à escola.
· Estratégias terapêuticas com gagueira e taquifemia_ adolescente e  adulto.
· A “alta” terapêutica nos TF.

Programa da Oficina:
Exercícios terapêuticos psicomotores e de promoção de fluência.

Fonoaudióloga ministrante:
Leila Nagib - CRFa 2807/RJ
· Professora de Transtornos de Fluência do Curso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina – UFRJ

Demais informações:
· Carga Horária: 20 horas totais
· Datas: 10 e 11 de agosto de 2012
· Horários: de 9 horas até 17 horas.
· Público Alvo: fonoaudiólogos e estudantes de Fonoaudiologia.
· Local: Rua Avenida Rui Barbosa 377 São Francisco Niterói
                                     http://www.arteexpressao.com.br/

· Contatose-mail: vamostratargagueira@gmail.com
         Celular- (21) 9342-7984 begin_of_the_skype_highlighting            (21) 9342-7984      end_of_the_skype_highlighting (Leila-operadora Claro) ou
8247-2024 (Leila- operadora Tim)

No dia 11 de agosto, durante as vivências na oficina:
1- deverão ser usadas roupas leves, próximas ao corpo.
2- no período das oficinas, os exercícios serão realizados com os pés descalços ou meias ou calçados bem confortáveis.
3- todos os participantes estarão em vivência, com espaços para feedback e conceitualização e fechamento em parte da tarde quando serão discutidos os exercícios.

Os participantes ganharão:
1.   Mídia de DVD com material (textos, aulas, cartilhas, vídeos)
2.   Apostila para acompanhar o teórico.
3.   Papel e caneta para anotações.
4.   Certificado de participação no evento.
5.   Café de espera e coofee break.

Investimento:
O fonoaudiólogo ou o aluno de Fonoaudiologia poderá inscrever-se em um evento ou nos dois eventos.


-- 
Leila Nagib
Fonoaudiologa
CRFa 2807/RJ
Ambulatório de Fluência
Graduação em Fonoaudiologia-Faculdade de Medicina
Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
cel.:              (21) 9342-7984      -(claro)
cel.:              (21)8247-2024      -(tim)
leilanagib.ufrj@gmail.com




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fendas Fusiformes

Ficha de Anamnese e Avaliação de Voz

Disfonias Funcionais